Pesquisar este blog

sábado, 7 de maio de 2016

NOTA: Fundação Cultural Mucunã


A Família Mucunã enlutada, vem prestigiar a sua honrosa homenagem à Dona Anália. Uma mulher guerreira a qual Deus lhe proveu de uma longevidade saudável e invejável aqui nessa vida terrena, que prestigiava o nosso ofício de fazer cultura. Pois a mesma sendo esposa do saudoso “Seu Coizinha”, assim como ele, nunca hesitou e nunca interferiu na vontade de seus filhos e netos, de dar continuidade naquilo que muito já esqueceram, mas que é vital precioso!!: “a retratação de nossas tradições pela dança, pela música, pela poesia enfim, pelo amor”. No entanto Dona Anália com seu pensamento a frente de seu tempo, sabia que isso era bom, pois alegrava-se sempre com o aglomerado em seu lar, com os jovens, com as cantigas dali. Ela exigia em altivez o seu cantinho bem perto dos bordados e das conversas, e ali se sentia feliz com aquele mundo. Ela nos acalentava com aquele singelo sorriso, com aquele sábio olhar, mesmo com seu silencio observador era um aprendizado. Em minhas lembranças mais latentes a vejo dando florezinhas imaginárias para sua filha que a tanto prezou e que as recebiam com tanto carinho que foi horado até seus últimos momentos. E hoje é a nossa vez de lhe presentear flores, mas que essas suscitarão em nosso dançar, em nossa alegria e em nossas apresentações por ai a fora, porque Dona Anália era alegre e cabe a nós sorrir, mesmo que uma saudade tremenda machuque nosso coração, pois sabemos que você já descansa em Deus, no seio de Abraão.

Por Rodrigo Caldas, 
em nome da Fundação Cultural Mucunã


Nenhum comentário:

Postar um comentário