Pesquisar este blog

terça-feira, 22 de novembro de 2016

A grandeza de um Homem está em unir e não em dividir. Por Geraldo Forte



“A eleição dos Estados Unidos da América nos “presenteou” com Donald Trump. Como muitos, fui um dos que torceram por Jeb Bush, sempre o vi como um ser Humano capaz de unir a América com mais facilidade que qualquer outro, posto que sua Esposa é uma Mexicana e, isso, teria uma influência muito especial na construção de uma nova América. O destino quis que tivéssemos Trump, ao invés do Vovô do Passarinho (Bernie Sanders) que, pelos Democratas, teria muito mais possibilidades de vencer as Eleições que a Hillary, pois um Vovô poderia convencer melhor os Estados Unidos a perceber que a experiência real seria a melhor opção”, frisou Geraldo Forte.

O advogado lamentou a realidade americana, já que seu novo presidente, em pleno século XXI, busca um retrocesso dos mais cruéis, uma divisão maior entre um País da América com os Estados Unidos, diga-se o México. “A grandeza de um Homem está em Unir e não em dividir. O tal Muro prometido por Trump reflete as mais bizarras ideologias da idade medieval. Mas, uma coisa é Trump, outra coisa são os Americanos, não vamos ofertar para eles o mesmo sentimento externado por seu novo Presidente, que ainda não compreendeu a maior de todas as riquezas humanas, que é a de compartilhar, de unir. Com o discurso da Divisão ele nunca será bilionário, mas apenas um pobre coitado que a História descreverá como um alguém menor, pequeno e distante do seu próprio discurso de grandeza”, disse Forte. 

Para o advogado, Trump precisa entender que o Mundo hoje não é o mundo do século XIX, mas do século XXI, pós Albert Einstein. Os conhecimentos científicos estão acessíveis e, afrontar a “sorte” não é um bom tempero. Engrossar a voz, apontar o dedo, estimular o preconceito levará os “adversários reais do Ocidente, especialmente dos Estados Unidos” a se unirem e, facilitarão maiores atentados em níveis de Hiroshima e Nagasaki. “Estando os EUA e seus aliados Históricos em situação de risco. Isso deve ser algo que tira o sono dos que observam com muita atenção a chegada desse “presente” na Casa Branca”, indaga o advogado.

Mesmo assim ele espera que Trump assuma a Casa Branca com um espírito Conciliador, Humilde, digno de ser lembrado como um Tipo de “Papa”, para evitarmos conflitos tais que, a falta de diálogo e de confiabilidade pode acabar agravando e fazendo do nosso Planeta Terra o Inferno dito da Bíblia.


Brasil/EUA

Forte disse ainda, que o presidente da República, Michel Temer, descreveu muito bem a Eleição deste Ano nos EUA, quando disse que a referida eleição não muda em nada a relação entre EUA e Brasil, pontuando muito bem a máxima de que os EUA e o Brasil juntos são maiores que qualquer pessoa que por ventura venha assumir a Alvorada ou a Casa Branca.


José Geraldo Forte dos Santos Fernandes(advogado)


Nenhum comentário:

Postar um comentário